ANÁLISE DA ESCOLHA PROFISSIONAL

Análise da Escolha Profissional

Este atendimento é realizado de forma individual ou em grupo e destina-se as pessoas que se encontram indecisas com relação a escolha da atividade profissional.

Uma entrevista individual e 15 encontros em grupo

Por que da escolha pelo nome: Análise da Escolha Profissional?
A “Orientação Vocacional” ou “Orientação Profissional” não mais abrangeriam esta outra possibilidade de análise da escolha profissional, ou seja, Fenomenológico-Existencial, uma vez que essas terminologias visam uma diretividade, uma substancialidade psíquica a ser encontrada, e tal postura vem de encontro à proposta de nosso trabalho.

Na proposta da Orientação Vocacional toma-se a vocação, habilidade, aptidão, como uma substância psíquica que deve ser desvelada através de procedimentos técnicos, subjetivantes, a fim de indicar as ocupações mais “seguras”, “adequadas” a cada orientando. Tal proposta traz consigo o sentido moderno de análise, ou seja, reduz a uma decomposição de elementos, em analogia com a química.

A professora Ana Maria Lopez Calvo de Feijoo apresenta como alternativa a terminologia “Análise da Escolha Profissional”, uma análise a partir do significado originário grego, tal como o proposto por Heidegger. Este (2001, p. 140), para justificar a sua utilização do termo análise, retoma ao sentido grego analisein, a partir da obra Odisséia de Homero. Nesta, a palavra análise é usada para o que Penélope faz todas as noites: “desfazer a trama que ela tecera durante o dia”, indicando o desfazer de uma trama em seus componentes.

Em grego, análise significa também soltar, por exemplo, soltar as algemas de um preso, libertar alguém da prisão, como também, desmontar os pedaços de uma construção. Trata-se, portanto, de um tecer e destecer visando que o analisando vislumbre liberdade, responsabilidade, indeterminação, como mais originária.

Como funciona o nosso processo de Análise da Escolha Profissional
Pensamos a escolha profissional como uma margem de manobras em um horizonte histórico de possibilidades, em que nos encontramos, e a partir da tematização sobre esse horizonte. Em nosso processo não trabalhamos com os tradicionais testes vocacionais. Buscamos propiciar um meditar sobre as sedimentações presentes em nossa sociedade e mobilizar a cada analisando a assumir o seu existir.

O que é oferecido

Um espaço de discussão sobre as indecisões frente à escolha profissional. Deste modo, nossa proposta consiste em mobilizar uma discussão crítica frente ao cenário atual e trocar Informações Profissionais, a fim de que o analisando possa assumir os sentidos que hoje movem o seu existir e, consequentemente, a sua escolha.
Durante todo ano, estão abertas as inscrições individuais e em grupo.

Possibilidades de atendimento

Em grupo ou individual.

Grupo
São previstos 16 encontro, sendo que o primeiro consiste em uma entrevista individual. Cada grupo possui no mínimo 6 analisandos e no máximo 10. Um total de 31 horas, distribuídas em uma primeira entrevista e 15 encontros. O processo é dividido em 4 momentos:
1 – Primeiro contato: Estabelecendo “vínculo” com o processo;
2 – “Reflexões” sobre o cenário atual e Informações Profissionais;
3 – “Reflexões” sobre os referencias que norteiam as suas escolhas;
4 – Conclusão – realizada por analisando, a partir do tecer e destecer das tramas em que se encontra envolvido.

Ao longo do processo cada analisando, caso deseje, ficará responsável pelo registro do que considerar significativo durante a sua vivência no grupo, para isto, entregamos um bloco de notas a cada analisando na primeira entrevista. O trabalho em grupo possibilita uma significativa troca de experiências.

 

Individual

São previstos 13 encontros, de uma hora semanal, um total de 13 horas, sendo o primeiro encontro uma entrevista. O processo também se divide, inicialmente, em 4 momentos:

1 – Primeiro contato: Estabelecendo “vínculo” com o processo;
2 – “Reflexões” sobre o cenário atual e Informações Profissionais;
3 – “Reflexões” sobre os referencias que norteiam as suas escolhas;
4 – Conclusão – realizada pelo analisando, a partir do tecer e destecer das tramas em que se encontra envolvido.
Estes momentos podem ser revistos de acordo com as questões trazidas por cada analisando.

 

Público indicado

Atendimento em grupo: jovens com idades entre 15 e 23 anos. Vestibulandos, universitários que buscam repensar a sua escolha profissional, entre outros.

Atendimento individual: A todos aqueles que desejam pensar sobre a sua escolha profissional.

Anúncios